A INCANSÁVEL E INCOMPREENDIDA MÃE! (Parte 1)

"Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma mulher revestida de sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas."

(Ap. 12,1)

Transcrevemos mais adiante neste texto outra grande missão da Mãe de misericórdia junto a seus filhos. Tudo sob ação da SANTÍSSIMA TRINDADE:

"Então disse MARIA: Eis aqui a serva do senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela." (Lc. 1,38)

"Quando JESUS viu sua Mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua Mãe: Mulher, eis aí teu FILHO." (Jo. 19,26)

"Todos Eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas MARIA, Mãe de JESUS, e os irmãos dele." (At. 1,14)

Pela graça de DEUS entendemos que do alto da Santa Cruz (Cruz Redentora!) ao entregar o apóstolo João como FILHO de Sua Mãe Santíssima, Nosso Senhor JESUS CRISTO estava tornando não apenas ele, os apóstolos e discípulos como seus FILHOs, mas principalmente toda a humanidade. Porque se ELE como Salvador adquiriu a paternidade sobre todos os salvos, por via de conseqüência Aquela que deu vida à Salvação (JESUS CRISTO) também assumiu a maternidade sobre esse mesmo rebanho.

Quem não consegue enxergar e aceitar esse fato insofismável? Aqueles que estão inspirados pelo espírito das trevas, a velha e ladina serpente, satanás!

Quem foi o maior derrotado, com a vitória de Nosso Senhor JESUS CRISTO sobre a morte e o pecado? Ele, o maldito pai do ódio, da mentira e da perdição!

Quem mais odeia Nossa Senhora? O diabo e Aqueles inspirados por ele, pois foi através da escolha pelo PAI e da aceitação de MARIA Santíssima que teve início a derrota do mal.
Quem poderia conceber por ação de DEUS ESPÍRITO SANTO e abrigar em seu ventre o Santo dos santos, o Rei dos reis, se não um Tabernáculo Imaculado, a Santa das santas, a Rainha das rainhas e Mãe das mães?

Nas Revelações (mensagens e visões) da Beata Ana Catarina Emmerich (beatificada pelo papa João Paulo II), religiosa Agostiniana nascida na Alemanha a 08 de setembro de 1774 (natividade de Nosso Senhora), foi mostrada uma forte cena da importantíssima e vital presença de Nossa Senhora junto aos Apóstolos e Discípulos, nos primórdios da Igreja. No decorrer dos anos de 1820 a 1823, essa piedosa e sofredora freira foi agraciada com as visões da Vida, Paixão e Glorificação do Cordeiro de DEUS. Na página 387 do livro editado em 1946, pela Livraria e Editora Lar Católico, de Juiz de Fora, M.G, e com autorização do bispo diocesano Dom Justino, em 27/06/1946, lemos o seguinte: (Este fato ocorre logo após a Ressurreição de Nosso Senhor JESUS CRISTO, e antes de sua Ascensão aos Céus).

"... Tiradas as mesas, as santas mulheres formaram um semi-círculo na extremidade da sala; os discípulos colocaram-se de ambos os lados e todos os Apóstolos andavam de um lado para outro, ensinando e revelando a esses discípulos mais provados o que lhes podiam comunicar sobre o Santíssimo Sacramento. Pareceu-me ser a primeira explicação do catecismo depois da morte de JESUS. Vi também que depois apertaram as mãos uns aos outros, declarando ardentemente que queriam ter tudo em comum, dar tudo uns aos outros e ficarem todos unidos. Então vi em todos uma grande comoção. Talvez tivessem sentido só interiormente o que vi exteriormente: Vi-os no meio de uma Luz brilhante, fundirem-se uns nos outros, e tudo formou afinal um templo de Luz, em que apareceu a SANTÍSSIMA VIRGEM COMO CUME E CENTRO DE TODOS. Até mesmo vi que TODA A LUZ EMANAVA DELA PARA OS APÓSTOLOS E DESTES VOLTAVA PELA SANTÍSSIMA VIRGEM AO SENHOR. Era uma imagem das relações recíprocas entre os presentes."

Portanto, estimados irmãos, nunca esqueçamos da importância e dos alertas de nossa Mãe-Rainha, a Co-Redentora, Nossa Senhora, para estes tempos decisivos e finais que ora vivemos.
A seguir, na Itália, mais apelos de nossa Mãe Santíssima a Sua mensageira Débora, de Mandúria, cidadezinha localizada no sul, próxima ao porto de Tarento: (Na gramática de Portugal).

"VINDE, SENHOR JESUS! Venha a nós o Vosso Reino!

São muitos os que se iludem, ao julgar possuir a Sabedoria a um elevado grau, enquanto a verdade é ser o discernimento um dom muito raro e, por conseguinte, bem mais precioso.
É-me verdadeiramente difícil abordar o "fim do milênio", sem correr o risco de me tomarem por um milenarista agitado ou por um ingênuo sonhador de jardins paradisíacos.
A leitura e reflexão dos volumes de "A Sabedoria revelada do DEUS Vivo" clarificam as idéias. Conheço muito bem Débora: ela mesma é bem diferente de uma anunciadora de infelicidades ou desgraças. Pelo contrário, adverte-nos de que aquilo que cada vez mais se aproxima de nós, não é o "fim do mundo", mas o fim deste miserável tempo de corrupções de todos os gêneros, o que deveria por sua vez alegrar-nos.

Ninguém ignora que a roupa suja, tanto pelas mãos de uma lavadeira como na mais moderna máquina de lavar, precisa bem mais que uma esfregadela ou torcidela para voltar à sua agradável clareza ou limpidez. E isso mesmo acontecerá (alguns consideram que a esfregadela e a torcidela estão já em acção), para purificar e corrigir ou endireitar uma humanidade que, na sua loucura, abandona o seu devido caminho e se dirige para pântanos cada vez mais doentios.

DEUS ama os homens.

Milhares de vezes por dia (e dar-se-ão conta disso os próprios sacerdotes?) O Senhor JESUS que, com o PAI e o ESPÍRITO SANTO, é verdadeiro DEUS, como aliás é também verdadeiro homem, de carne e osso, reactualiza o Seu Sacrifício redentor, para a salvação do mundo.
O simples facto de pensar que o Sangue do Homem-DEUS já não basta para lavar e renovar a face da terra, constituiria por si só um pecado.
Mas há mais: na presença de DEUS, a própria Nossa Senhora Se sente responsável por toda a humanidade, que não é de forma alguma um simples rebanho anônimo, mas uma grande família, cujos membros conhece, cada um pelo seu nome. E esta Mãe quer salvar todos os Seus filhos!
Sinto já nos ares os sons da trombeta que anunciam vitória a uma dimensão verdadeiramente mundial. Uma vitória que não é de armas ou de chantagens, mas um autêntico triunfo da verdade, da justiça, de um amor puro e activo, que actualmente é utópico sonhar com meios simplesmente humanos.
Depressa intervirá a omnipotente Misericórdia do Sagrado Coração de JESUS, que faz um só com o Imaculado Coração de Sua e nossa Mãe. A DEUS tudo é possível! Se alguns, ou mesmo muitos, quiserem esquivar-se a esta verdadeira chuva de purificação, não culpem depois o Céu, mas a sua própria obstinação ou teimosia, mais insensível e impenetrável que a pedra. Se aqui e além, nos escritos de Débora, se lê que o tempo está para vir, que o regresso glorioso de CRISTO o torna cada vez mais próximo, não vejo motivo para que alguém se alarme com isso. Digamos antes que é necessário fazê-lo sem agitação, a jeito de uma boa dona de casa, ocupada em preparar uma determinada refeição e que teme não tê-la pronta a seu devido tempo. E não pensemos apenas em nós mesmos, com a ânsia de salvar pelo menos o que é possível salvar. Tanto os escritos, como sobretudo a vida e os sacrifícios de Débora, se bem entendidos, no seu conjunto, convidam à conversão, à oração e penitência, mas num clima de confiança, de alegria, de uma vontade deliberada de viver para o Senhor e para o próximo.
Justamente para o tempo que agora vivemos, já o próprio JESUS nos preveniu, no Seu Evangelho: "Quando estas coisas começarem a acontecer, não vos entristeçais: não será ainda o fim. Erguei a vossa cabeça, que a vossa redenção está próxima!"(Mt 24,33; Mc 13,29; Lc 21,31).

O inferno está vazio!...

Mas, estai atentos, porque eu escrevo isto de um modo um tanto gracioso ou divertido, como para dizer que todos os diabos saíram dele e se espalharam pelo mundo, a fim de criar por toda a parte dolorosas perturbações, nestes últimos tempos em que foi concedido a Satanás o privilégio de todo e qualquer domínio.
Todos vemos agora como ele está implicado neste terrível combate, in celestibus, como diz São Paulo, isto é, entre seres invisíveis que agem para o bem ou para o mal, conflito que tem por cenário o planeta terra e vê a humanidade contemporânea como alvo de conquista. As forças de Satanás, o inimigo do homem, estão em plena actividade (os filhos das trevas não dormem nunca...). ele mesmo está mobilizando miríades e miríades de demônios, isto é, de anjos rebeldes a DEUS, com o concurso dos homens condenados. Satanás tem já, nesta nossa terra, um exército bem activo e invasor de pessoas que odeiam a DEUS e servem conscientemente o autor do mal. E conta também com uma verdadeira multidão amorfa e indolente, cada vez mais corrompida, que se deixa arrastar à deriva, tantas vezes mesmo de uma forma ingênua. E Satanás, por ideologias anti-cristãs e, por conseguinte, necessariamente anti-humanas, que excitam a sede do ouro, do sexo e do poder, a qualquer preço que seja, infiltrou-se nas instituições civis e mesmo, numa medida de forma alguma desprezível, nas instituições eclesiásticas. "Isto vai de mal a pior!", queixa-se um bom número de vítimas. E verdade é que cada vez é mais difícil não lhes dar razão.

Vitória garantida

Mas há também a mobilização do Bem, que nos parece tão frágil, mas que será certamente vitorioso, no combate final, que está em vias de se realizar, entre Satanás que é bem poderoso e Nosso Senhor JESUS que é o Omnipotente. A dirigir as operações, todas elas benéficas mesmo que momentaneamente dolorosas, DEUS colocou MARIA que, como Virgem da Eucaristia e Fonte de Óleo Santo pela unção perene, se apresenta como Mãe da Igreja Universal. No seu Coração Imaculado, depressa encerrará todos os povos da terra, não na sopa nada apetitosa de um falso ecumenismo, mas num rebanho ordenado, de que JESUS é o pastor Eterno, e o Papa, o pastor visível.
O exército de MARIA, a celeste Condutora, é formado no Céu (mas está já em acção no meio de nós!) por milhares de milhares de Anjos bons, de Almas Santas do Paraíso e do Purgatório. A sua eficácia seria ainda mais evidente, se nós próprios Lha suplicássemos com maior fé, pois amam-nos e vêem muito bem em que perigosas águas estamos navegando. O santo Exército de MARIA é composto por todos Aqueles que, mais ou menos conscientemente, vivem na Graça de DEUS, como acontece também com todas as criancinhas e com quem pertence a outras religiões, mas vive honestamente, com desejo profundo, embora inconsciente, de encontrar a verdadeira Fé. Neste imenso exército de gente fundamentalmente boa e que será conduzida à salvação, depois de ter sido devidamente evangelizada, há, naturalmente, formações ou constituições especiais:

1- As pessoas que, não apenas com ritos e fórmulas, mas de boa vontade e a cada momento, se consagraram aos Sagrados Corações de JESUS e de MARIA. A elas pertencem, naturalmente, homens e mulheres que se sentem verdadeiramente radiantes por se terem consagrado a DEUS nos Institutos e Congregações religiosas. A elas pertencem verdadeiras flores de mães e pais que vivem santamente a sua missão familiar. Como a elas pertencem jovens e crianças de coração ardente e puro que rezam e amam, trabalham e ajudam o seu próximo mais próximo.

2- Os sacerdotes, conhecidos ou desconhecidos, que verdadeiramente crêem em DEUS e na Igreja, e generosamente – dir-se-ia que a fundo perdido - amam e guiam o seu próximo.

3- Tive a graça de conhecer algumas das Almas Vítimas. Nem todas estão enterradas numa cama, doentes. Tenho-as encontrado em aeroportos e em verdadeiras sendas de montanhas, ao serviço de enfermos ou de prisioneiros, em escritórios ou campos, almas voluntariamente sofredoras. E, no entanto, sempre sorridentes e portadoras de uma paz que entra no coração. E a verdade é que a nossa Santa Mãe conta muito com este pequeno rebanho que vive numa dimensão mística a sua Fé, tantas vezes sem lhe conhecer os próprios termos: fazem penetrar nas veias dos próprios indiferentes e incrédulos o Sangue Preciosíssimo que com tanta abundância, e às vezes com tanta indiferença, é consagrado e oferecido nos altares.

A Epifania Mariana

Entre a admiração reconhecida e lavada em lágrimas d'aqueles que têm acolhido com humildade e uma fé robusta as muitas manifestações Marianas e a satisfação presunçosa d'aqueles que jamais quiseram acreditar nas aparições, locuções, lacrimações, etc.., sobressai de uma forma evidente o facto de o ciclo das epifanias Marianas estar em próximas vias de se concluir.
Isto não quer dizer que Nossa Senhora nos abandone: Ela Mesma continuará a pensar em nós, a esclarecer-nos ou iluminar-nos e a proteger-nos como sempre, mas de uma forma bem mais velada. A hora indiscutível das trevas apressa-se a cair sobre o mundo, antes da aurora da sua ressurreição. A voz de nossa Santa Mãe, mansa ou imperiosa, feliz ou triste, ressoou já por muitíssimas vezes. Em Mandúria, como diz a própria Virgem MARIA, desenrola-se a última das grandes aparições públicas, isto é, destinadas ao mundo inteiro, e em que todos são convidados a vir, para Lhe agradecer e A louvar. A Mensagem, com todas as suas facetas, que me não é possível enumerar aqui, retoma e completa tudo o que já foi manifestado ou revelado a Santa Catarina Labouré (na rua du Bac, em Paris, 1830), a Melânia (La Salette, 1846), a Bernadette (Lourdes, 1858), aos três pastorzinhos de Fátima (1917), assim como em variadíssimas manifestações Marianas do nosso tempo, em Itália e em toda a Europa, como em todos os continentes.
Em formas, pessoas e lugares diferentes, a Mãe de DEUS repete a Seus filhos que devem converter-se para obter a paz nos corações, nas famílias, na sociedade, na Igreja, comprometendo-se a devolver a JESUS o lugar que Lhe compete, isto é, o primeiro.
E não é apenas Nossa Senhora. Muito embora se fale das aparições de Nossa Senhora em Mandúria, a verdade é que não é apenas A Santíssima Virgem que Se manifesta a Débora, tanto em visões e locuções intelectuais, como através dos sentidos (vê-A, ouve-A, pode tocá-La, sente o perfume da Sua presença), nos momentos de êxtases.
Na experiência de Débora, JESUS intervém em primeiro lugar como Mestre e Esposo místico, como Crucificado, como PAI Eterno, Vítima Eucarística, Rei da Revelação. A esta jovem filha, o Senhor pede que caminhe pela via de perfeição, através das renúncias de todo o gênero, da paciência para com o próximo, das humilhações, do sofrimento moral e físico, e participando com ELE na Sua Paixão pela salvação das almas, numa aceitação absoluta e incondicional da Vontade divina, provando-a como o ouro que se faz passar pelo crisol. Os Anjos do Paraíso – dos Arcanjos ao seu próprio Anjo da Guarda – mostram-se próximos e colaboram nos desígnios de DEUS sobre esta jovem filha, verdadeira mártir da fidelidade à sua missão (segundo o parecer de um grande número de sacerdotes que a conhecem de perto). Quanto aos santos, não faltam os que mais a irão ajudar, sempre que DEUS lho permite, para encorajar e defender esta sua "irmãzinha". Entre os seus muitos protectores, citamos São Francisco de Assis e Santa Clara, Santa Joana d´Arc e Santa Teresa, São José, o beato Padre Pio (agora canonizado) e as Almas do Purgatório, que a ajudam de muito boa vontade, em troca dos muitos sacrifícios que Débora oferece por elas, rezando e realizando diariamente pequenas acções meritórias.

A raiva do demônio

Débora tem sempre necessidade de ajuda celeste, porque também dela eu posso dizer com o escritor Manzoni que, numa certa medida, ela "é o sinal de um ódio inextinguível e de um amor indomável".
Sim, porque a batalha feroz e, de certo modo, desonesta contra a sua missão – mesmo por parte daqueles que deveriam limitar-se a uma informação correcta e a uma expectativa prudente – não pode explicar-se sem uma interferência verdadeiramente diabólica. Tal como aliás aconteceu com JESUS, que foi tratado de possesso e vendido a Belzebu, o mesmo se passa agora com Débora, cujos sinais prodigiosos que rodeiam a sua pessoa e missão são atribuídos de uma forma realmente farisaica ao maligno.
É verdade que Satanás entra na vida de Débora de uma forma perversa e mesmo impressionante, mas é sobretudo certo que passa a torturá-la, tanto fisicamente, espancando-a, como sobretudo espiritualmente, por causa do grandíssimo número de almas que ela mesma lhe arranca das unhas, para as reconduzir a DEUS. E deste modo, as intervenções de Satanás constituem uma verdadeira prova a favor da autenticidade da missão de Débora.

Nossa Senhora da Eucaristia

Contemplando longamente e com amor a maravilhosa Imagem de Nossa Senhora da Eucaristia, venerada na capela construída no terreno do Celeste Prado, quanto d´Aquela que, por obra do ESPÍRITO SANTO, deu o Corpo e o Sangue ao FILHO de DEUS, feito n´Ela, primeiro nosso Irmão e, depois, nosso Alimento!
Nossa Senhora convida-nos A uma adoração respeitosa e prolongada de JESUS Eucarístico. Recomenda-nos que O recebamos sempre na graça de DEUS, depois de uma piedosa preparação e com atitudes, posições ou comportamentos que exprimam a nossa verdadeira fé no DEUS infinitamente grande, mesmo que ELE Próprio Se humilhe voluntariamente, apresentando-Se-nos sob tão modestas aparências...
Viver a Santa Missa, para o sacerdote e para os fiéis, física ou moralmente presentes, é a coisa mais sublime que o homem poderá fazer para glória de DEUS e para o maior bem de todas as pessoas da terra e das Almas do Purgatório.
Nossa Senhora suplica aos sacerdotes que ajudem, pela sua exemplar devoção Eucarística, os fiéis a compreenderem que, em cada Missa, JESUS está presente, como Vítima imolada e Pão de Vida Eterna, que é o autêntico e Sumo Sacerdote, mesmo que o ministro da Igreja, servo do Altar, seja entretanto necessário...

A Virgem Orante

Nossa Senhora, não só tem a Divina Eucaristia no Seu peito, mas tem também, nos dedos de Sua mão direita, o Terço. Ela Mesma não hesita em afirmar que, depois da Santa Missa e dos Sacramentos, o Terço, rezado com calma e amor, é a oração mais agradável à Santíssima TRINDADE; é um "sinal", isto é, um meio poderoso de salvação, sobre o qual têm insistido todos os Papas deste nosso perturbado século (XX); é a arma para vencer o Maligno. É uma cadeia humilde e sólida, que nos une a DEUS e cria a união, particularmente na família. Nossa Senhora repete muitas vezes a Débora que é necessário ter momentos de silêncio, de escuta interior, em atitude de filial abandono nos braços do PAI e da Mãe do Céu. É necessário viver a consagração aos Sagrados Corações Unidos de JESUS e de MARIA, sem separar a oração do trabalho. É necessário rezar continuamente.
Para além do Terço e das orações, belas porque feitas com coração, Nossa Senhora recomenda o exercício da Via Sacra que, no Celeste Prado, se chama a "Via Dolorosa Mariana". Podemos fazê-los sozinhos ou em grupo, acompanhado de cânticos e orações. A meditação é essencial à nossa íntima participação nos sofrimentos vividos por Aquele que, por nosso amor, foi condenado e crucificado.

A Virgem Penitente

Esclareço de imediato o meu pensamento: Nossa Senhora é Imaculada. Não há pois, n´Ela motivo algum para pedir perdão a DEUS ou fazer penitência. Mas é também a Mãe das Dores e a Corredentora, que faz sempre um só coração com Seu FILHO, o qual tomou sobre Si o sofrimento e o pecado do mundo. E é justamente por isso que ambos nos convidam de uma forma premente à penitência. Quantas vezes e com que insistência a têm Eles Mesmos pedido a Sua generosa confidente Débora!
É necessário arrependermo-nos e reconhecermo-nos pecadores, pobres e com uma necessidade contínua de perdão e de auxílio, nas mais pequeninas coisas. E esta disposição de espírito traduz-se pelas contínuas atitudes ou manifestações de penitência.
O cúmulo de toda esta nossa penitência (e Nossa Senhora recomenda-o também, e sobretudo, quando faz alusão à Comunhão), é aproximarmo-nos, com humildade e verdadeira gratidão, do Sacramento da Confissão ou Reconciliação. Existem também outros actos e orações litúrgicas, por exemplo no início da Missa, nos quais exprimimos o nosso arrependimento, sob a condição de que se não trate apenas de palavras, sem sinceridade ou vida alguma. Cada um conhecerá uma infinidade de meios de mortificar o orgulho, a vaidade, a avareza, a avidez dos sentidos. Mesmo coisas e acções não repreensíveis em si mesmas poderão ser nocivas, moral e fisicamente, se abusamos delas. Pensemos, por exemplo, no excesso do tabaco, do álcool, do café, sem descer ao terrível abismo da droga e dos mais propagados meios de morte lenta.

Um convite insólito

Nossa Senhora lança um convite, discreto na sua forma, mas bem claro no seu fundo (é talvez a primeira vez que o faz que eu saiba!), a praticar um pouco a penitência, sã e santa, no uso da sexualidade. E aqui, o convite à moderação, até a renúncia periódica, em certos casos, e à nobreza humana e cristã destas manifestações amorosas, dirige-se aos esposos legítimos e desejosos de bem orientar a sua família, de forma a torná-la verdadeiramente responsável. Em tudo o que é pecado por sua própria natureza (homossexualidade, onanismo ou masturbação, adultério, luxúria em todas as formas de maus desejos, leituras inconvenientes, espectáculos obscenos, etc.), não pode haver questão de abster-se, pois há uma estrita obrigação de consciência de cortar inteiramente com tais hábitos e corrigir-se deles radicalmente.

Penitência por amor

Em Mandúria, Nossa Senhora sugere que:

- se renuncie a algumas horas de sono, para fazer vigílias de oração, tanto no Celeste Prado (local das aparições) como em suas próprias casas;

- que se faça a Via Sacra, participando interiormente na Paixão de JESUS, tanto sozinhos como em grupo... no "Olival Bendito" (olival bendito é uma denominação do local das aparições) que a própria Nossa Senhora baptizou com o nome de "Santo Getsemani" (Em Igrejas ou em casa).

No dia 23 de cada mês, na expectativa da aparição de Nossa Senhora, faz-se uma Via Sacra seguida de Rosário e de outras orações e cantos, no próprio terreno do olival e, se o tempo o permite, com um percurso de seis ou sete quilômetros. Em sinal de penitência, a Via Sacra Mariana, pavimentada de duras pedras em que a própria Nossa Senhora pousou os pés, percorre-se de joelhos ou, pelo menos, de pés descalços. O exemplo que me deram homens e mulheres, jovens e mesmo anciãos, a caminhar de joelhos, felizes, apesar do seu grande sofrimento, vale-me bem mais que uma sábia homilia.

Uma penitência bem cuidada, para além de todas as pequenas e contínuas boas acções ao serviço do próximo, é o trabalho considerável oferecido a DEUS pelos membros e famílias do Movimento de Amor, no cumprimento de tudo o que Nossa Senhora, pela boca de Débora, pede, no sentido de preparar e ordenar esse canto de terra quase abandonado, fazendo assim dele um pequeno Eden, santificado pela presença contínua de MARIA.

A Mãe da Igreja

Nossa Senhora da Eucaristia, isto é, do Sacramento da união, quer obter-nos, acima de tudo na família, uma união sincera e activa. Para isso, Ela Mesma encoraja ou estimula a fundação de "lares familiares", nos quais, todas as noites, pais, vizinhos ou amigos se reúnam em casa, para meditar o Rosário, ou na paróquia, para adorar JESUS no Santíssimo Sacramento (que hoje está tão abandonado!).
Nossa Senhora pede, de uma forma repetida, que se considerem todos como membros vivos e responsáveis da grande família que é a Igreja. Sejamos, pois, unidos, sem julgar, individual ou colectivamente, sacerdotes, bispos, a paróquia, a diocese, mesmo que se tenha a impressão de se ser marginalizado. Nas mensagens de Mandúria, acontece freqüentemente ouvir palavras de luz e de encorajamento, mas também mansas repreensões que se dirigem aos fiéis, aos sacerdotes e aos bispos.
Para com o Santo Padre, o Coração de MARIA transborda de ternura materna, a fim de aliviar os sofrimentos, o contínuo trabalho e inimaginável solidão deste incansável profeta da paz.

A Unção Perene

No decurso dos séculos, muitíssimas têm sido as aparições de Nossa Senhora realizadas junto de riachos, rios ou variados cursos de água. Menos freqüentes, e quase exclusivamente nesta nossa época, realizam-se aparições em que os sinais tangíveis são o perfume ou o óleo, que emana prodigiosamente de pinturas ou de imagens.
Entre estas, o record, pelo número de vezes, pela quantidade e variedade de testemunhas, assim como pela abundância de óleo recolhido (e variadíssimas vezes examinado) destaca-se, julgo eu, o fenômeno de Mandúria. E não é por nada que Nossa Senhora ama ser invocada como a Mãe da Oliveira bendita (JESUS Rei da Paz), a Fonte do Óleo Santo da Unção perene!

Reviver a Confirmação

Enquanto a água, que purifica, lembra o baptismo, o óleo bendito, distinto do óleo litúrgico, lembra o óleo dos Sacramentos e, de uma forma bem particular, o do Sacramento da Confirmação. Este óleo, muitas vezes perfumado, é um dom de JESUS, que o faz ressumar do rosto ou do manto da imagem de Sua Santa Mãe. Mesmo que se trate por vezes de quantidades importantes pela sua multiplicação, a Providência, que havia previsto que ele seria difundido pelo mundo inteiro, decidiu que se poderiam utilizar nove gotas (9 é o número da vida: pensemos nos nove meses de gestação de um bebê), derramadas num litro de óleo normal e, deste modo, se poderá formar um outro litro; e nove gotas deste novo óleo poderão, por sua vez, juntar-se a um outro livro, etc...
Sem pretensão alguma de propaganda, o certo é que o óleo de Nossa Senhora de Mandúria está a ser pedido de toda a parte: do Japão ao Brasil, da África do Sul ao Canadá, da Rússia à Irlanda, da Inglaterra à Suíça, da França à Alemanha, à Bélgica, à Holanda, etc... Este óleo permitiu já conversões extraordinárias de gente que pertencia à máfia e à maçonaria, que praticava a magia negra, sem contar as já muitas curas físicas, naturalmente inexplicáveis. Eu mesmo fui já testemunha direta ou ocular de curas, que apenas não posso ainda classificar de "milagres" por mo exigir a recomendada prudência e me faltar ainda uma documentação clara e precisa. Por tudo isto, que o Senhor e MARIA, sua dulcíssima Mãe, sejam devidamente agraciados!

Dom Renzo Del Fante

DÉBORA E O SEU CARISMA.

A idéia de escrever este caderno veio-me de um sacerdote que freqüentava, pois em 1992 vivia uma particular experiência chamada pelos estudiosos "Experiência Mística". Antes de acontecer aquilo que vou contar, era uma jovem sem DEUS e sem particulares dotes. Aconselhada por um sacerdote, comecei a anotar tudo no papel. Então, tudo isto me parecia inútil; mas hoje sinto-me chamada diretamente pelo Mestre JESUS e por Sua Mãe Santíssima a escrever a Sua Palavra. Como diz JESUS, a vocação a que sou chamada não é apenas para mim, mas deve servir "como anotação ou comentário de cor e de esperança para esta geração que parece estar sem luz e ideais".

Destes escritos, diz o Mestre: "transparecerá todo o Amor e toda a Misericórdia do Meu Coração, profundamente desolado e atormentado pelas faltas de Meus filhos doentes; e não só: este dom do Céu deverá ser a confirmação de que Eu, Rei da Revelação e Salvador do Mundo, caminho sempre convosco, até o fim dos Tempos. Compreenderão que Eu jamais os abandonei e que estou sempre disposto a recebê-los, mas sobretudo a corrigi-los no seu caminho".

Com fé e amor, a vossa serva

Débora

SABEDORIA REVELADA DO DEUS VIVO

No dia 20 de Maio de 1992(*), ia fazer as compras quando, de repente, senti uma voz que me chamava. Voltei-me para trás umas boas três vezes, mas não havia sinal de alguém, a não ser a uns 300-400 metros. E ouvi perfeitamente essa voz que me dizia:
- "Filha, olha para o horizonte e verás que o teu caminho não é este, mas um outro".

Ouvi-a muito bem, não era imaginação, era a voz suavíssima de um homem que se fazia ouvir no íntimo da minha pessoa; era como se estivesse ligada entre o coração e o ouvido. Sem ligar nada, deixei correr, pensando que se dirigiria ao moço que estava a meu lado. Voltei para casa e não contei nada a ninguém, a não ser a esse moço que estava comigo. E assim passou esse dia tão estranho.
No dia 10 de Agosto do mesmo ano, dirigia-me para a discoteca, quando a mesma voz me chamou imperiosamente, dizendo:

-"Filha, caminha na Minha Palavra e Eu Mesmo te conduzirei, lentamente, onde existe o Justo PAI".

Por insistência de minha mãe, participei, nesses dias, numa peregrinação, em que se dizia que aparecia Nossa Senhora. Durante toda a procissão, não fiz mais que dizer: "Ave MARIA Santa cheia de Graça", pois não me lembrava bem das orações; e no entanto sentia um forte apelo a rezar.
A procissão estava quase a terminar, quando vi diante de mim um Sol, mais resplandecente que o sol que vemos no céu; essa Luz era de um branco nunca visto. E desta Luz, uma voz feminina, suavíssima, indescritível, disse-me:

-"Se caminhares Comigo, a caminhada não te pesará. Caminha, caminha, que Eu estarei contigo".

Chegando à praça desse lugar, corri para a fonte, para lavar o rosto. Sentia-me verdadeiramente entontecida, mas não tinha tido medo, como anteriormente. Esta última visão tinha-me deixado no interior uma grande paz. Nos dias seguintes, haviam-me surgido na mente muitas interrogações: Que devo eu fazer? Mas que teria sido aquela "coisa" que me tinha falado? Que me estaria a acontecer? Mas eu tinha visto e ouvido, e a verdade é que me não tinha por uma visionária. Não compreendia, mas dava-me conta de que a proveniência destes acontecimentos não era simplesmente racional!
No dia 13 de Setembro, às 15:30, a suavíssima voz masculina fez-se uma vez mais ouvir e disse:

-"Filha, em nome do Eterno Amor, deixo-vos a Minha Paz, dou-vos a Minha Paz".

Agora, era claro: não me era uma voz familiar; mas, então, quem era? Tinha-me chamado "filha": seria talvez o meu pai?(1) A minha vida, a partir desse momento, começou a mudar lentamente, até fazer nascer dentro de meu coração a devoção a Nossa Senhora e a JESUS Sacramentado. Decidi-me a organizar, com alguns amigos, numa pequenina igreja situada na periferia da povoação, uma vigília noturna dedicada à Mãe de DEUS (11 de Outubro), e de novo, nessa ocasião, ouvi a voz masculina que me disse:

-"E Eu digo-te que, sem demora, todos os jovens da terra Me verão, para que vivam por Mim".

Mas a coisa mais inacreditável foi que a pequenina igreja em que se realiza a vigília de oração transbordou de jovens e crianças. Para mim, isso mesmo foi o sinal de que uma mão suprema se me havia pousado na cabeça, com extraordinária delicadeza, e me tinha espevitado a consciência, que eu tinha tão insensível nos meus confrontos com DEUS. No dia 16 de Outubro, uma vez mais a voz me falou e, desta vez, marcou o início da minha conversão. Essa mesma voz disse-me:

-"Quem julgas tu que Eu seja? Eu sou a tua paz, o teu caminho seguro! Eu sou JESUS, o teu Mestre, o Bom Pastor, Minha pequena. Eu desejo estar em ti!".
E eu perguntei-Lhe:
- E porque vindes a mim, que sou tão miserável e pecadora? Talvez Vos tivésseis esquecido de que, no passado, Vos tenho sempre traído!
E ELE:
-"Também Judas Me iria trair e, no entanto, Eu escolhi-o como discípulo. E pensas então que Eu não saberia já antes aquilo que Me iria fazer?".
E eu:
-Sou tão indigna... Por que não procurais quem seja mais digno de Vos acolher do que eu?

Houve um momento de silêncio e, depois:

-"Eu vim para os doentes, Minha alma, e não para os sãos!(2) A tua miséria agrada-Me e a tua fraqueza espiritual permite-Me modelar-te com facilidade e, depois, verdade é que Eu Me sirvo dos débeis e impotentes, para dobrar os fortes e poderosos! Isto mesmo diz o Espírito de DEUS".

Quanta maravilha, quanta sabedoria e quanta justiça! Era JESUS! Era justamente o FILHO da Senhora a quem eu tinha rezado tão mal, durante a peregrinação, em Sua honra! JESUS tinha vindo a falar-me! Mas por que razão precisamente a mim? Como era possível? E contudo era verdade. Tinha-O ouvido muito bem: dizia ser JESUS!
Enquanto eu me interrogava deste modo, a voz disse-me:

-"Não te aflijas: apoia-te a Mim! Escolhe a verdadeira Vida que é JESUS CRISTO!"

No dia 18 de Outubro, às 21h30min (3) pensava em preparar a minha cama para ir dormir, uma vez que esse dia tinha sido um dia muito pesado, quando ouvi:

-"Minha filha, o Meu Coração sente-se irreparavelmente despedaçado. Jejua e reza! Os Sinais dos Tempos começaram e lembra-te: a fé de uma só, salva o mundo".

Perguntei-me a mim mesma que coisa poderiam significar os "Sinais dos Tempos!". Mas que tempos viriam a ser esses? Os dias seguintes continuaram a decorrer tranqüilos, como de costume, embora as dúvidas que me assaltavam continuamente fossem muitas e a minha situação se tornasse cada vez mais pesada, tanto mais que eu a não partilhava com ninguém.

No dia 23 de Outubro foi um dia inesquecível. No início da tarde, pelas 16 horas, acontece aquilo que jamais poderia ter pensado: "O encontro com uma Jovem-Senhora de nome MARIA!". Ainda hoje a emoção desses momentos me leva a encolher os ombros. Estava só, estendida no divã, contemplando a lacrimação das estátuas e das imagens, que havia começado no dia 29 de Setembro desse mesmo ano(4) (1992), manifestação que não mais me iria deixar. Interrogava-me a mim própria se esse sinal viria do bem ou do mal.

Os sacerdotes que nesses dias consultei estavam convencidos de que viria do mal, mas o estranho era que Satanás, como eles lhe chamavam, agisse através de imagens abençoadas, que representavam JESUS e Nossa Senhora. Enquanto eu pensava nestas coisas, vi no alto, quase na abóbada do compartimento, três globos de luz, como "três Sóis! Estes giravam sobre si mesmos e uniam-se, formando um "Ovo Solar", alto, de quase dois metros, de que saiu uma "figura". Tive tanto medo, que me rebentaram as veias dos pulsos: e dei-me com grandes hematomas que, no entanto, me não causavam dor alguma. Fui arremessada, do divã em que estava estendida, para o chão, de joelhos, com as mãos postas, a cerca de dois metros de distância de uma "Senhora"!
Era uma jovem belíssima, com cerca de 18-20 anos. Fiquei estupefata com a Sua beleza: a pureza das Suas feições e a simplicidade que transparecia do Seu rosto tornavam-n´A perfeita e extraordinária. Os Seus lábios eram como duas pétalas de rosas vermelhas aveludadas, os Seus olhos, quase cor de violeta, como duas pedras preciosas e reluzentes. Todo o Seu Ser era Paraíso. Que esplêndida Criatura! Tão simples e extraordinária! Tinha a cor da pele olivácea, os olhos escuros, quase azul-violeta, os cabelos castanho-escuros e reluzentes, ligeiramente ondulados. Estava vestida com uma longa veste branca apertada por uma franjinha no pescoço, e com um véu transparente na cabeça (No decurso das Suas visitas, segundo a mensagem e a festa ocorrente, muda a cor da veste e, às vezes, traz uma cinta dourada e brilhante).
No primeiro encontro, a Senhora pronunciou as seguintes palavras:

-"Louvado seja o Nome de Meu FILHO".

E eu respondi:
-"Talvez se diga: Para sempre seja louvado?".
Neste momento, sorriu.

-"Filhinha, Eu venho aqui na qualidade de Advogada. Sou mandada por DEUS e não faço a Minha Vontade. Eu não vim a este lugar para fazer de ti apenas uma confidente da Palavra do Céu, de forma que a humanidade possa bater-te à porta, nem Meu FILHO te fala no coração apenas para Se comunicar, mas sim para te fazer compreender que o mundo está mergulhando no abismo do pecado. Não esqueças: tudo aquilo que fizeres pelo teu irmão ajudar-te-á a ti e a teu irmão. A Minha Palavra inflama-vos os corações, mas o pecado é a água que os apaga. É DEUS que dá a bênção de PAI Onipotente através de Mim: PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO com a Sua Esposa que está na TRINDADE. Com isto, filha Minha, vai e tranqüiliza o teu coração. Eu Mesma te assistirei sempre. Quando tiveres dificuldades, refugia-te no Meu Coração Imaculado. A Minha Mensagem ainda não terminou. Seja louvado JESUS CRISTO, a todo o momento".

30 de Outubro de 1992, às 14h50min (em casa):

Estou só, no meu pequeno quarto. Com grande pesar, noto que a Bela Senhora traz um véu negro como um chapéu. E saúda-me, dizendo:

-"Louvado seja, todos os dias, o Nome de Meu FILHO".

Tem as mãos abertas mas, de repente, ergue os olhos ao Céu e põe as mãos juntas ao peito:

-"O mundo é a maior criação de DEUS, mas está a tornar-se a maior das dores; se os ateus não mudarem as suas teorias de vida, relâmpagos e fogos de Justiça se irão abater sobre eles. Filha, não corras atrás de falsas profecias, mas está atenta ao momento presente. Eu digo-te: vai e começa os teus projectos. E repito: tranqüiliza o teu coração. Paz e bênção à tua alma".

Era uma coisa inacreditável: Nossa Senhora voltara, dizendo-me que A iria ver também no dia seguinte, à mesma hora, para me ensinar a rezar o Rosário, que eu não conhecia. A partir desse dia, jamais o esqueci. Ela anunciava os Mistérios, rezava o PAI Nosso, o Glória e a conhecida jaculatória, ensinada em Fátima, deixando-me a mim a oração da Ave MARIA.

31 de Outubro de 1992 às 15 horas (em casa):

No dia 31 de Outubro, às 15 horas, pela primeira vez fui vexada pelo demônio (começo a pressentir que a minha missão virá a ser muito difícil, uma vez que o demônio começava já a enfurecer-se tanto contra mim). Estou próxima do aparelho stereo, no momento de introduzir uma cassete de meditação, para preparar uma vigília a MARIA Santíssima; de repente, vejo uma nuvem avermelhada, de que saem as suas garras afiadíssimas. Recebo um soco no queixo e caio por terra, quase estonteada; depois, a sua mão agarra-me pelos cabelos e atira-me para a porta do quarto de minha mãe, em que ela estava a descansar; ela abre-se por si só e eu caio por terra. Então, a sua mão agarra-me de novo e começa a arremessar-me contra as esquinas dos móveis, enchendo-me o corpo de nódoas negras e de feridas. Não satisfeito ainda, continua a picar-me e a arranhar-me na cara e nas mãos. Fico estonteada com a dor que tudo isso me provoca. E daquela mesma nuvem vermelha sai uma voz que me diz:

-"Eu sou Asmodeu. Farei terra queimada ao teu redor. Todos te baterão e tu não farás nada pelas almas; por fim, esmagar-te-ei e serás minha".

Enquanto assim me ameaçava, aparecem os "três Sóis", à vista dos quais o demônio desaparece. Destes "três Sóis" sai a Senhora, que me reanima com estas palavras:

- "Filha, não desanimes: foi DEUS que o permitiu. DEUS quer-te forte, no Seu exército de paz. Confia no Meu Coração Imaculado: Eu não te abandonarei. Chama o sacerdote e alimenta-te com o Corpo de CRISTO. Procedendo assim, terás cumprido a Vontade Divina".

3 de Novembro de 1992 às 12h30min (em casa):

Sinto-me ainda perturbada por tudo quanto me aconteceu. Lembrando-me todavia do compromisso tomado com Nossa Senhora de chamar o sacerdote, dirijo-me ao Senhor, rezando-Lhe assim:

-"Senhor, ajudai-me Vós Mesmo a descrever estas duras provações!"

O demônio vexou-me uma vez mais, arranhando-me as mãos e a cara. Depois, falou-me, dizendo-me:

-"Pequeno verme da terra, não rejubilarás na luz de DEUS, que eu, expulso, desde o início, do Paraíso, estou condenado às trevas, mas seguramente, muitos o estarão também comigo. Tu não conseguirás converter as almas, na medida em que eu as tomei já, em parte; voltarei, para te destruir e furar-te-ei os olhos; até os sacerdotes se afastarão de ti e te vomitarão, porque rejeitada por todos".

Tal como antes tinha acontecido, o demônio escapou-se, à vista da luz da "Senhora". Só agora começo a compreender que Ela é verdadeiramente a Mãe de DEUS. Ela diz-me:

-"Queres rezar Comigo o Santo Rosário?"
E eu:
-"Desejaria, mas não o sei rezar!"
E Ela:
-"Serei Eu Mesma a ensinar-te, e tu não mais o esquecerás!".

6 de Novembro de 1992 às 17h20min (em casa):

MARIA Santíssima:

-"Seja louvado, todos os dias, o Nome de Meu FILHO. Eu prometo-te o Meu Amor eterno, mas não poderás pedir graças e prazeres para ti mesma. Minha pequena alma, Eu amo-te muito".

Eu, entretanto, começo a chorar, e Ela:

-"Não chores, Minha pequena. As fraquezas, aos olhos de DEUS, são justificadas(5), se aceitas como tais diante d´ELE, mas não esqueças: É DEUS que te quer assim. Eu revelo-te um dos grandes segredos para entrar na paz de DEUS: a caridade. Lembra-te, filha: ama, ama e ama ao infinito o teu próximo e perdoa, perdoa, perdoa! Tudo isto quer dizer renúncia e sofrimento. Mas Eu sei que, ao menos em parte, o conseguirás, porque o próprio DEUS pousou sobre ti "as suas grandes asas"(6)de Misericórdia. Eu amo-te muito e agradeço-te o teres-Me correspondido, Minha pequena chama de vida. Ama o teu DEUS e louva-O todos os dias. Abençoo-vos a todos e espero-te na terça-feira, às 16 horas. Louvor e honra sejam dados sempre a DEUS!"

10 de Novembro de 1992 às 16 horas (em casa):

MARIA Santíssima:

-"Louvado seja, todos os dias, o Nome de Meu FILHO, JESUS. Agora, Minha pequena, quero fazer-te ver o que o mundo Me faz".

Como por encanto, apareceram homens que, com longos punhais, Lhe trespassavam o peito, e tanto o haviam esquartejado, que aparecia o coração a bater e a jorrar sangue a verdadeiras enchentes.

-"Assim, Minha pequena, Me ama o mundo! Assim corresponde ao Meu Amor! Todas as vezes que se realizam encontros em particulares circunstâncias, logo os homens pensam se realmente se terão realizado; todas as vezes que, durante a vida, se apresentam sinais evidentes, jamais se acredita que seja DEUS, o PAI que tanto vos ama. E todas as vezes que se não aceitam os sinais como sinais enviados pelo PAI Celeste, JESUS, Seu FILHO, derrama uma lágrima de sangue. Agora, filhinha, Eu dirijo-Me a ti: oferece-te, como o Cordeiro Se fez imolar no altar. Passa tu a ser, como tantos Santos, a imagem do Crucifixo vivo. Oferece-te como modelo para o mundo. Sê modelo de amor, de humildade, de fraternidade, de caridade e de sofrimento eterno, de oferta a DEUS na pobreza e, sobretudo, sê irradiação de uma contínua oferta ao teu irmão. DEUS, na Sua liberalidade, deixa-te a livre vontade de aceitar este projecto ou de rejeitá-lo; mas se soubesses qual o Seu e Meu Amor por ti, desejarias desde já começá-lo, neste mesmo instante".

-"Mãe, eu quero-o, desejo fazer como Vós me dizeis".

E Ela:

-"Consagra-te a Mim e Eu Mesma te conduzirei. Depressa se abrirão sendas ou caminhos intransponíveis e, embora por entre imensas dificuldades, os Meus predilectos filhos te ajudarão neste tão amado projecto de DEUS".

-"Mãe, curai os doentes que estão nesta casa e particularmente um menino que veio aqui de muito longe".

Nossa Senhora não me responde, mas vejo que acaricia com uma das mãos a cabeça do menino. Depois, sorri e abençoa-nos a todos dizendo:

-"Quero-te aqui amanhã, para rezarmos o Santo Rosário juntas. Louvada seja sempre a Luz que dissipa as trevas, JESUS CRISTO".

11 de Novembro de 1992 às 16 horas (em casa):

Chega novamente a Bela Senhora e fala-me:

-"Seja sempre louvado o Eterno Cordeiro, JESUS CRISTO".

Nossa Senhora convida-me a rezar o Santo Rosário. Ela enuncia os Mistérios e reza o PAI Nosso, o Glória e as jaculatórias. As Ave Marias, faz-me rezar. Depois do Rosário, diz-me:

-"Filha! No mundo, existem movimentos que têm o Meu Nome, mas muitos bispos e sacerdotes não aderem a eles; no entanto, tu diz-lhes, mesmo que te não venham a acreditar, que bem depressa, mesmo Aqueles que sempre se lhes têm oposto, se deixarão comprometer por eles, sem sequer se darem conta disso. Minha pequena, alma da Minha alma, em ti o próprio Senhor Se compraz; segue os Seus exemplos e os Meus Bons Conselhos de Mãe, e através de ti, Eu Mesma poderei uma vez mais ser portadora da palavra da Vida Eterna. A cada um, o Senhor confia uma missão, e a tua bem depressa te será claramente revelada. Se, porém, te renderes às primeiras dificuldades, será sinal de que Eu não estou completamente em ti! JESUS resgatou-te com a Sua morte e tu, fá-Lo regozijar-Se em ter-te amado tanto. Que a tua boca seja a expressão de uma contínua oração e que, todos os dias, através do teu louvor ao Criador, vivas um pedaço do Céu. Amai a Santíssima TRINDADE, antes que outras divindades entrem no vosso coração. Seja louvada a Vida que gera vida, JESUS".

13 de Novembro - Início da tarde (em casa):

O demônio vexa-me de novo, mas, às 16 horas, aparece a Bela Senhora que me dá uma mensagem e me liberta das torturas diabólicas. Pelas 17 horas, aparece-me uma figura de homem vestido com um roupão, sem sapatos, e diz-me:

-"Eu sou a Pomba branca dos teus sonhos (havia noites em que eu sonhava com uma pomba branca que olhava para mim), que respirou e caminhou no Evangelho. Sou Francisco de Assis e sei que nutres por mim um profundo amor. Eu próprio te meterei a semente das minhas Virtudes, para seres portadora, no mundo, daquilo que DEUS estabeleceu para ti, Paz e Bênção".
São

Francisco aparece como um homem de baixa estatura e de olhos escuros, muito profundos.

22 de Novembro de 1992 às 14 horas (em casa):

Este não foi um dia muito feliz. Sinto-me chamada por uma voz, por poucos instantes, que me diz:

-"Filha, não te queixes. Eu sei tudo: o sofrimento enobrece a alma".

Senti-me então muito tranqüila! Às 16 horas, chegou a Senhora:

-"Seja louvado o sol(7) e Quem o criou porque, através da luz, se gera a vida. Minha pequena, tu estás triste por aquilo que acontece, mas fica desde já sabendo que deverás sofrer em Nome de DEUS; acaso te esqueceste de que, na Bíblia, está esta passagem "Bem-aventurados os perseguidos em Nome de DEUS?"(8) Com este ensinamento, vai e santifica-te. Por agora, os sinais não existirão, e mesmo Aqueles que se têm realizado diminuirão e, depois, desaparecerão por completo. Humilhando-te, poderás dizer: "Eu, ó Meu JESUS, agora sou o reflexo dos Vossos olhos; de ora em diante, vibrarão palavras doces nos meus lábios; mesmo no sofrimento. Vós, ó DEUS, comprazer-Vos-ei em terdes-me criado e feito à Vossa semelhança."(9) Pequena, não continues a queixar-te. Que a paz habite no teu coração. No dia 25 deste mês, a Graça de DEUS (10) terminará, mas Nós, lá em cima (da Pátria Bem-Aventurada), abençoar-te-emos a ti e a todos aqueles que caminharem contigo na Palavra de DEUS. Eu amo-te, Minha alma. Louvor e honra sejam dados a DEUS, por ter-nos criado. Beija a Minha mão e vive em santidade".

Estava triste, depois desta mensagem, porque a Senhora me tinha dado a entender que a Sua doce presença poderia vir a faltar depressa, por causa das fortes hostilidades que poderiam vir a manifestar-se, na seqüência destes fenômenos sobrenaturais. Com todo o meu ser, invoquei-A, oferecendo-me inteiramente à Vontade do Senhor.

23 de Novembro de 1992 às 16 horas (em casa):

MARIA Santíssima aparece-me, com uma Hóstia grande, à altura do peito. Ela Mesma A aponta com a mão esquerda, enquanto traz o Santo Terço, na mão direita com três dedos erguidos em sinal de bênção:

-"Seja louvado JESUS CRISTO, Minha pequena, Eu desejo que tu te purifiques no sofrimento e que o teu pranto seja a água que lava o pecado. Não esqueças: o teu Esposo espera-te. Não O desiludas. Eu amo-te ao infinito e, no dia em que a tua alma estiver completamente ligada a JESUS, o sol não mais voltará a pôr-se para ti. Os Anjos cantarão no Céu, quando uma outra filha se virar para o PAI, e tantas e tantas outras almas farão a tua caminhada ao mesmo tempo. Louva a Luz Eterna, JESUS CRISTO".

24 de Novembro de 1992 às 16 horas (em casa):

Com o coração na garganta, espero o santo encontro com a Senhora. Olho para o céu e compreendo que está a chegar: os raios(11) estão para se unir.

-"Louvado seja todos os dias "o Passo seguro da Vida" a imitar, JESUS. Filha, DEUS escolheu-te a ti porque és nada; se houvesse alguém mais "nada" que tu, tê-lo-ia escolhido Ele. Segue JESUS no Seu projecto, o FILHO Divino".

Depois MARIA Santíssima deu-me uma mensagem para um sacerdote que, em oração, Lhe tinha feito um pedido particular. Ela concluiu:

-"Eu amo-te, amo-te ao infinito. Seja louvado, todos os dias, a cada momento, o Nome de Meu FILHO".

25 de Novembro de 1992 (em casa):

Nossa Senhora aparece-me, apesar de no dia 22 me ter claramente feito compreender que não mais a voltaria a ver e, a seguir, me dirá o motivo de regressar a mim esta graça de DEUS. Esta data representa um momento muito importante para a minha vida mística: viverei primeiro, em pessoa, algumas profecias de Nossa Senhora que se irão realizar nos dias futuros. Junto com MARIA Santíssima, aparece-me um irmãozinho, vestido com um roupão esfarrapado (é o Padre Pio) e noto que MARIA Santíssima e o frade têm o rosto velado de tristeza. MARIA Santíssima diz-me:
-"Minha filha, não te lamentes; o Senhor estabeleceu que tu hoje vejas aquilo que poderia acontecer ao mundo, se tivesse de permanecer como agora. Pequena, sê muito prudente. É necessário que tu, por agora, o tenhas como segredo; mas desejo que os Meus Ministros sejam postos ao corrente disto mesmo e se dêem conta da terrível possibilidade que paira sobre o mundo".

De repente, encontrei-me no meio de uma praça e logo a reconheci como sendo a Praça de São Pedro. Vi cair fogo do céu. A gente corria de um lado para o outro, procurando refúgio e protecção. Os rostos dos homens estavam transtornados e vi que imploravam ao Céu a graça de morrer. De repente, virei-me e notei que, de longe, um ser erguido da terra se aproximava. Era uma senhora: a Senhora! Quanta irradiação e quanta graça, nos Seus movimentos! Mas reconheci que o Seu Rosto estava lavado em lágrimas de sangue. Ao aproximar-Se, reconheci n´Ela a Senhora que sempre tinha visto nos meus felizes encontros com o Céu: era a Mãe de DEUS, mas também a "minha" Mãe. Que tormento, vê-La nAquele estado! A Sua voz suave e meiga quase me arrebatou:

-"Filha, a primeira cidade a ser atingida será Roma, porque ela mesma representa o berço da cristandade e é a sede do fiel vigário de Meu FILHO e, por conseguinte, a primeira a prestar contas diante de DEUS; mas também porque do coração desta cidade que é o "Parlamento", partem esses enganos e vícios que determinam e continuarão a determinar o mau andamento de todo o país".

Vi, depois, que do céu vinham dois exércitos de Anjos. O primeiro exército era vestido de branco e o segundo, de negro. MARIA indicou-me com o dedo as almas que seguiam esses respectivos Anjos, dizendo:

-"Minha filha, os homens que seguem os anjos vestidos de negro são as almas que aceitaram o pecado e a perdição. Os homens que seguem os Anjos vestidos de branco são as almas que, mais ou menos, seguiram o PAI e que irão receber a sua recompensa".

As almas estavam vestidas segundo a missão que tinham desempenhado na terra e que, à testa das fileiras dos anjos vestidos de negro havia Cardeais, seguiam-nos alguns Bispos e, mais atrás ainda, havia Sacerdotes.

Neste momento, Nossa Senhora disse:

-"Olha para esses Sacerdotes, Minha filha!"

-"Quem são Mãezinha?"

-"São Sacerdotes que obrigam a pagar os sufrágios das almas, mas que na realidade, a maior parte das vezes, as não sufragaram e se serviram do dinheiro para os seus vícios! Mas o pecado mais grave, que os manda para o tremendo fogo, é a sua impureza de corpo e sobretudo de coração. A impureza que amargura o Coração Imaculado de JESUS é sobretudo a concupiscência da carne vivida contra a natureza".

Atrás destes, havia mulheres. Jovens vestidas de um modo indecente e vergonhoso, acompanhadas de alguns homens vestidos de preto. Perguntei a Nossa Senhora quem seriam esses e Ela respondeu-me assim:

-"As mulheres jovens que tu vês são mulheres que venderam o seu corpo, escandalizaram as crianças e seduziram jovens(12). Aqueles que as seguem são homens que ajudaram essas mulheres, de um modo ou outro, no seu caminho de perdição. A Minha dor é grande, pois a sua índole não era má. Mas o Maligno seduziu-os e Eles caíram na sua rede de perdição".

Mais atrás ainda, havia jovenzinhas que levavam no braço modelos minúsculos enfaixados em ligaduras negras. Olhei para MARIA Santíssima e, antes que eu Lhe fizesse a pergunta, Ela disse-me:

-"Filha, essas jovens geraram, não apenas uma vez(13), mas o seu pecado consiste no ter premeditadamente morto os seus Filhos. Julgavam ter escapado ao juízo dos homens e deste modo estar salvas, mas não tiveram presentes os olhos de DEUS que as via muito bem lá em cima".

Mais tarde, havia uma infinidade de almas que esperavam o seu juízo e... quem sabe quantos pecados as acompanhavam. De repente, MARIA disse-me:

-"Olha, Débora! Chega o Meu FILHO".

E vi vir do Céu, dentro de um enorme globo luminoso, um homem vestido com uma veste resplandecente (tão branca... jamais tinha visto uma semelhante!). Era moreno e tinha na mão um livro enorme. Vi exércitos de Anjos que se colocaram diante d´ELE, e ELE Mesmo lhes indicava os lugares, dizendo:

-"Tu, aqui! Tu, ali! Tu, em cima! Tu, em baixo! Tu, junto de Mim! etc.".

Depois que JESUS (Sua Mãe já O tinha reconhecido) concluiu o Seu Juízo, olhou para mim. Não sei descrever aquele olhar tão penetrante, a ponto de me desnudar o íntimo da alma, e posso dizer tê-Lo visto, primeiro imponente e, depois, lentamente, passar a ser dulcíssimo. Aquilo que depois vi foi bem mais aterrador que as visões anteriores:

A terra escavacava-se, como se tratasse de um terremoto. As árvores arrancavam-se da terra, como que impelidas por uma força que lhe vinha do centro. Vi homens que, dominados pela fome, comiam outros homens. Vi animais estendidos por terra, quase sem pele, como que despedaçados, com uma verdadeira multidão de insectos que zumbiam ao seu redor. Olhei para o céu e vi aves gigantes. Não conseguiria descrevê-las, mas eram negras e de certo que exploravam a zona, como à procura de qualquer coisa. Sentia-me cansada e sobretudo desfalecida pelas brutalidades que me via forçada a ver. Entre variadíssimos pensamentos, interrogava-me a mim mesma sobre a razão pela qual o Senhor tinha permitido a meus olhos que vissem tanto, mas compreendia, com uma profunda amargura, que deveria ter visto tudo isto, para que mais não fosse, para a santificação de minha alma. Tive sede. Sentia que os lábios se me fendiam pelo terrível calor do sol; sentia-me chagada, mesmo por dentro e pensava que meu corpo iria cair em pedaços. Procurei desesperadamente um poço. Vi um ao longe mas, ao chegar junto dele, notei que estava seco; os próprios raios do sol o iluminavam por dentro, pois era meio dia. Olhei ao meu redor, mas havia só desolação, morte e desespero; e gritei ao Céu:
-"DEUS, DEUS, porque me abandonastes?".
De repente, um homem vestido com um roupão roto, aproxima-se de mim e diz-me:

-"Eu sou o Padre Pio, menina. Aquilo que tu hoje viste, já eu próprio o vi, em tempos. DEUS mandou-me a consolar-te. Apoia-te a mim e entrega ao teu DEUS as tuas preocupações, todos os teus temores. ELE Mesmo tem apreciado a tua coragem. Agora é tempo de regressares ao teu tempo. Lembra-te de que aquilo que viste é o Apocalipse e ele iniciou em 1970"(14).

Chega MARIA Santíssima e diz-me:

-"Fica sabendo, pequena, que São João voltou à terra, e revive(15) em todos os corações que o querem seguir, para formar a Milícia Celeste; e regressou para preparar o caminho e Meu Divino FILHO, que está para regressar em glória. Minha filha, depressa, muito depressa, já no fim do ano de 1993, grandes tribulações vos esperam, mas tu tem muita fé em DEUS. A própria fome se fará sentir nesse vosso planeta e, então, se verão imagens lastimosas de homens que comerão outros homens. Confiai no amor do vosso Salvador que está para regressar e vos libertará de toda a espécie de mal". (Primeiro segredo revelado).

Tranqüilizada com as palavras deste Santo Irmão e de Minha Mãe Santíssima, vi-me, como por encanto, na minha humilde casinha e jamais, mas mesmo jamais esquecerei aquilo que vi."

Débora – Mensageira do Céu.

Há uns bons três anos que conhecemos de perto, ainda em plena e fogosa juventude, esta mensageira do Céu, cuja missão profética tanto tem a ver com os chamados fins dos Tempos; e, bem particularmente, com o Mistério da Eucaristia. O primeiro contacto vivemo-lo na ambrosiana cidade de Milão; e logo então vimos que seria um testemunho a fazer vibrar nesta nossa Fraternidade Missionária de CRISTO-Jovem, tanto pelo nosso especial carisma de conversão juvenil, como pela nossa missão de apaixonados cantores da Eucaristia. Por uma e outra marca, não tínhamos dúvida alguma de que Débora assentava em cheio nesta nossa casa, mas só de há breves dias começamos a sentir que havia chegado o providencial momento de aqui vermos proclamada uma tão singular e oportuna experiência mística, pela voz profética do instrumento fresco e jovem que o próprio Céu Se dignou escolher. Vamos, pois, preparar-nos para receber e oferecer, aos nossos benfeitores e leitores amigos, o vigoroso testemunho de uma tão jovem convertida pelo Céu? Comecemos por oferecê-lo, na sua origem e primeiros comentários que a teologia da Igreja lhe oferece, em próximos números de "Anunciai a Boa Nova"; e rezemos, na intenção de que em breve possamos ver feito uma premente realidade, o sonho para que neste momento nos estamos a sentir despertos. Sonho e Realidade? O mesmo DEUS no-lo dirá, se atentos aos chamados sinais dos tempos.

Ed. Boa Nova

NOTA FINAL: O assunto referente às Revelações da Mandúria (mensageira Débora) foi retirado da Revista mensal de "Edições Boa Nova", denominada "Anunciai a Boa Nova", de janeiro/2002 (nº 190). Foi composta pela "Fraternidade Missionária de CRISTO-Jovem" - Requião-Portugal.
Edições Boa Nova no Brasil: Rua Ministro Calógeras, no 390 – Res. São José – Joinville – S.C. / CEP. 89.201-500.

"Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar."
(Gn. 3,15)

(*) Débora era, então, uma jovem de 19 anos (n.d.t.p).
(1) O Pai natural de Débora tinha falecido, quando ainda era criança.
(2) Mt 9,12.
(3) O sacerdote que a seguia convidou-a a anotar, não apenas o que lhe acontecia, mas também a hora e a data dos acontecimentos.
(4) No início, as imagens e estampas choravam lágrimas humanas (v.documentos).
(5) Perdoadas pela Confissão, com humilde arrependimento e com propósito de as evitar.
(6) SI, 91,4
(7) Louvor entendido como cântico ao sol e adoração a DEUS por tê-lo criado.
(8) Mt 5,10.
(9) Gn 1,27.
(10) Uma particular graça do Senhor, que será uma vez mais evocada a seguir.
(11) Os três raios são as três luzes que se transformam num globo luminoso, quando acabam por se unir.
(12) Seguramente, não convertidas, no momento da morte, pois de outro modo se teriam salvo e nos teriam precedido no Reino do PAI.
(13) Para além de abortar, também muitas vezes, depois do parto, se libertaram dos filhos.
(14) Tal período indica uma fase terrível em que o homem experimentará diversas tribulações, por uma sua própria purificação.
(15) Ele mesmo, guiando muitos corações, concorre para o Renovamento das almas.

Colaboração de João Batista Klein, Porto Alegre-RS, em 16.05.2004, reeditado em 07.01.2011.