Maria Mãe da Igreja

e Vencedora dos demônios.

 

“Um sinal grandioso apareceu no céu: uma Mulher vestida com o sol, tendo a lua sob os pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas.”

 (Apocalipse. 12, 1)

 

Maria não só teve a missão de ser co-redentora, contribuindo com Jesus para restituir ao universo o equilíbrio tão fortemente abalado desde que houve a rebelião de Satanás e dos seus partidários, mas a sua qualidade de co-redentora fez dela também a Mãe da Igreja, que ela gerou com Jesus na dor e no amor, e tornou-a também participante, numa medida superabundante, do Seu eterno e real Sacerdócio. Por isso, diante dela se prostram os anjos do Céu, os homens da Terra, e tremem aterrorizados e fogem os demônios do Inferno.

Por imposição de Deus, o próprio demônio, em algumas circunstâncias, foi obrigado a confessar — muito a contragosto... — que a Santíssima Virgem era sua maior inimiga, pois Ela conseguia salvar almas que estavam já em suas garras, praticamente condenadas ao inferno. Nossa Senhora é o Terror dos demônios, Aquela que esmaga a cabeça da serpente infernal, como é representada em muitas de suas imagens – na Medalha Milagrosa, por exemplo. Em seu famosíssimo Tratado da Verdadeira Devoção, São Luís Maria Grignion de Montfort escreve:

 "Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio”.

Os demônios não só odeiam Deus, Cristo, a Igreja, a humanidade inteira, como se odeiam uns aos outros; são tiranizados por chefes ferozes e implacáveis. Possuem uma astúcia que é produto da sua inteligência corrompida. Por causa da superioridade da sua natureza, conseguiram, com uma pérfida tenacidade, destruir na alma do homem toda ou quase toda a noção da sua existência, de modo que os homens, na sua quase totalidade, não acreditando na sua existência, cessaram a luta pela qual Jesus Cristo, Verbo de Deus feito Carne, morreu na Cruz. Esta é a verdadeira causa da ruína da Igreja, da grave crise de fé que atormenta os bispos, sacerdotes e fiéis. Os demônios só temem a Deus, a Virgem Santíssima, e os santos (os que vivem e querem viver na graça de Deus) e riem-se de todos os outros. O seu grande êxito foi ter levado a humanidade, ou ter criado na humanidade inteira uma civilização materialista, introduzindo o ateísmo.

 

Por que Satanás e os demônios têm tanto ódio pela Virgem Maria?

1) Porque ela sucedeu a Satanás no primeiro lugar que ele ocupava no mundo invisível e visível, como a primeira de todas as criaturas, depois de Deus, Uno e Trino, Criador.

2) Porque o “Fiat” dela tornou possível a Redenção, que deu um golpe certeiro no seu domínio, instaurado sobre a humanidade através do engano e do laço estendido aos nossos primeiros pais.

3) Outro motivo do seu ódio implacável contra a Virgem Santíssima provém do fato de que a humilhante derrota lhe foi infligida por uma frágil criatura de mulher, bem inferior a ele por natureza; isto foi, é e será eternamente um tormento tal que ultrapassa todos os tormentos da Terra, tormento incompreensível para nós, homens.

Depois da Santa Missa, o Santo Rosário é a arma mais mortífera para vencer e eliminar os inimigos de Deus, da Igreja e os nossos, que são os demônios. O Rosário tornou-se o remédio mais seguro contra todos os males do espírito e do corpo, os males pessoais e sociais, e isto foi confirmado pela Virgem Maria com fenômenos incontestados, que confundiram a loucura humana e mudaram o curso da História e o destino dos povos e das nações. Tudo isso não pode e não deve ser ignorado pelos pastores, pelos ministros e pelos fiéis cristãos, pois a evidência dos fatos ficou registrada na História e nunca será apagada.

Atualmente, tendo cessado a era das perseguições e martírios, o demônio, que não conseguiu destruir a Igreja pelas vias violentas, quer destruí-la por meio das heresias.

O conjunto de ensinamentos da Igreja — lógicos, sólidos, conseqüentes e admiráveis — parece-nos a coisa mais normal do mundo. Mas, para chegar até isto, foram indispensáveis, sob a divina inspiração do Espírito Santo, muito esforço, intensas polêmicas e pertinaz estudo. Por exemplo, foram necessários 10 séculos para que a realidade dos sacramentos instituídos por Nosso Senhor pudesse ser doutrinariamente expressa por uma definição clara e precisa. Por aí, pode-se medir quanta oração foi necessária, quanto trabalho e esforço empregado para exprimir essa admirável catedral de doutrinas, muitas delas apenas implícitas nos Evangelhos e na Tradição.

Não deve causar-nos estranheza o fato de, atualmente mais do que nunca, o demônio desejar introduzir pedras falsas nas fundações doutrinárias – é o caso das heresias – ou mesmo depreciar e suprimir os sacramentos a fim de tentar derrubar todo o magnífico prédio doutrinal da Igreja de Jesus Cristo.

 

Cristãos: Vigilância com as mudanças na Igreja. Muitas mudanças foram sugeridas não pelo Espírito Santo, mas pelo espírito das trevas.   

 

 

 

Leia também:

 

- A grande mentira do século: o diabo não existe.

 

- Parte de relato sobre exorcismo praticado na Suíça, em 30 de março de 1976.

 

 

.