A Obra do Imaculado Coração de Maria
junto à humanidade.


Diversas formas de manifestação mariana vêm ocorrendo desde o início da formação da Igreja (1). Geralmente, seguidas de acontecimentos celestes, curas milagrosas, advertências e profecias, as aparições, ou imagens milagrosas, ou mesmo lágrimas, comprovadamente de origem humana, sendo vertidas por estátuas de Maria Santíssima são acontecimentos que atestam a obra que o Imaculado Coração de Maria vem desenvolvendo junto à humanidade.


Buscando reunir os referenciais marianos que levaram, no passado, e continuam levando o povo a erguer-se na fé, iniciamos este trabalho, o qual não se limita a registrar as “aparições” marianas - que por si só já renderiam um trabalho bastante vasto. Buscamos relacionar toda “referência” mariana identificável como tal, considerando que nem todos os títulos foram atribuídos à Virgem em razão da ocorrência de uma aparição. Daí, apontarmos também, histórias outras, que não se referem a uma aparição mas a uma manifestação sobrenatural da Santíssima Virgem (por meio de quadros, estátuas e outros), e que não poderiam deixar de constar nesta produção por serem pertinentes e igualmente importantes.

 
Histórias como a que remete à origem do título de Nossa Senhora do Capítulo (Vila de Alenquer/Portugal, ano 1216), cuja imagem da Virgem Maria comunica a um jovem noviço, em atendimento aos rogos deste, qual a oração que mais lhe agrada. E, para provar o que informa, Maria Santíssima oferece o milagre de transferir o Infante Jesus, que vinha trazendo no braço direito, para o braço esquerdo, passando a mantê-lo, a partir daí, sempre naquela posição.

 
Ou ainda, a história que nos esclarece o motivo pelo qual surgiu o título Nossa Senhora das Angústias. Introduzida na ermida por dois jovens, aquela que parecia ser uma senhora que entrou e pôs-se a orar foi identificada como a tão necessária escultura que os confrades precisavam para representar as angústias da Santíssima Virgem no ato de ver e sentir os martírios da paixão e morte de seu Divino Filho. Além da forma como apareceu a perfeitíssima obra, o fato de ela ser de madeira incorruptível, cuja espécie se ignora, atesta, de forma incontestável, o caráter sobrenatural do fato.

 


(1) Ver o artigo: A presença da Santíssima Virgem junto à Igreja de Jesus.

REFERÊNCIAS MARIANAS
(clique aqui)